terça-feira, 8 de junho de 2010

Abutre...

O abutre ansiava que a vitima desse o seu último suspiro para arrancar o primeiro pedaço de carne.
o cheira a morte pestilava o lugarejo como praga que cai certeira
Os olhos vidrados no passado mantinham a vida presa num pequeno pêndulo suspenso no ar...
Vai-te embora abutre, pois aqui ainda vou ficar...
Enviar um comentário