domingo, 9 de agosto de 2015

Porque tal como o mar também tenho os meus dias de revolta...




Não queria trazer para aqui lamúrias nem o drama que tenho vivido há cerca de um mês. O Verão foi sempre a minha estação favorita e neste ano tem sido uma estação sombria, triste e carregada de medo. 
Após o diagnóstico é como se por momentos a nossa vida parasse embora o coração bata e bata bem forte, mas parece que tudo perde cor, sabor e cheiro. 
A primeira vez que saí à rua e ia no autocarro ter com uma amiga para passar a tarde foi muito revoltante. 
Senti muita revolta... Via as pessoas descansadas a irem às suas vidas, a rapariga à minha frente estava a caminho do supermercado para comprar as coisas para a mariscada ao final do dia... (Eu que adoro comer e principalmente marisco). Outra lia a revista com uma descontracção e eu só pensava que eu estava a passar por uma enorme crise e que a minha vida tinha terminado e toda a gente à minha volta feliz...
Essa tarde foi de muito choro e de um ombro amigo que está sempre lá. A minha querida Ana. No dicionário a palavra amizade certamente vem lá a foto dela, Ela deu -me a mão nos momentos mais difíceis, ainda antes deste da doença e sempre me tem acompanhado em tudo. Torce por mim, Manda -me mensagem de apoio todos os dias, procura me dar mimos para me distrair, enfim, Amiga com "A" bem grande. 
Entretanto os dias vão passando e como isto já fiz um cateter, já tive internada, já fiz dois tratamentos, já vomitei muitas vezes, já chorei milhares, já consegui rir algumas vezes, mas não consigo tirar aquele fundo triste que me fica no olhar...
O cancro, que agora apelidei o meu de Gregório, dá cabo da pessoa em todas as vertentes. O meu tirou -me o apetite e a própria acção de comer. A minha alimentação é muito restrita e líquida. 
Já pensei muitas vezes porquê eu? Mas já desisti, quando vou aos tratamentos estão lá pessoas da minha idade ou mais novas... E elas certamente se questionam o mesmo e sofrem tal como eu, a minha família e amigos.
Muitas vezes podem achar que pareço forte, pelas imagens do facebook, mas muitas vezes estou no chão... Tento me fazer de forte quando sei que tenho um grande desafio pela frente e nem sei o que vai acontecer. Há dias que desespero por voltar atrás no tempo para viver um dia de ignorância e comer o que queria, atirar -e a uma piscina, fazer a minha vida... Outros dias quero que o tempo ande muito rápido para resolver tudo isto e prosseguir com a minha vida... Mas já percebi que não tenho outra forma do que ter paciência.... Isto irá demorar e eu não posso fazer nada para avançar o tempo...
Escrevo este post para quem o leia aproveite o bem mais preciso, a Saúde. Com saúde podemos fazer tudo e isso é um bem que não tem preço. Eu sempre pedi saúde mas agora vejo -a com outra perspectiva. 
Quero muito viver, voltar a comer os meus pratos favoritos, não ter cólicas que não me deixam dormir, e poder viver...
Por isso, aproveitem o dia de hoje para pensar na fortuna que têm. Então com filhos? Duplamente afortunados. Convidem a família a almoçar, vão beber um café, sentam -se a mesa a contar histórias de família, dêem abraços, beijos, façam o dia valer a pena, pois nunca se sabe o que trára o dia de amanhã...


Enviar um comentário