quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Corria o dia com a leveza doutros tempos,
o corpo repousava e a mente jazia no leito do pensamento.
Sobre ti, claro..
Revivia as palavras ditas, os gestos contidos, a pulsão que me fazias,
Sentia o corpo latejar com a ânsia de saber de ti.
Ao longe, vozes ecoavam com fervor sobre aspectos mundanos,
A banda sonora perfeita para acompanhar o meu delírio.
Sentia o corpo fervilhar, os dedos torciam como quem afasta os maus espíritos,
atraindo boas vibrações..
Do sonho acordei, com o leve trepidar, eras tu..
Decidiste partir, viajar, voar para outras paragens,
Fiquei inerte..
Resolveste viver a tua vida longe de mim.
As vozes mundanas são agora gritos que destilam a minha cabeça.
mais uma vez me deixei levar pela doçura das tuas palavras,
pelas ilusões da minha mente,
Vai então se queres,
sai daqui, vai viver essa dita vida,
pois por mais longe que estejas estás mais perto do que agora..
Parte então para o teu destino porque ao meu destino eu já cheguei...
Enviar um comentário