sexta-feira, 20 de agosto de 2010

De ti me libertei...

Há muito que o tempo clareou as pedras da calçada por onde pisas.
O teu passo deixou de ser importante e ser digno de nota.
As pedras já não temem a tua presença, pois o meu coração libertou-as.

O vento já não teme a tua passagem,
Passares ou não é indiferente para a brisa ligeira que agora corre,
Deixas -te de ser para sempre o senhor,
pois do vento é o meu pensamento.

O mar deixou de arrefecer à tua entrada,
pois o que agora sentes não impede do mar aquecer ou gelar
perdeste o estatuto de Deus
Pois de ti há muito que me libertei ....
Enviar um comentário