domingo, 9 de dezembro de 2007

O Mar batia revolto......tal como eu..


O mar batia revolto nas rochas,
como se buscasse algo...
tal como eu..


A brisa corria ligeira,
contrária ao meu pensar,
pensar esse que pairava no limiar da demência e da sanidade..

O mar batia revolto
como quem quer gritar e não pode..
tal como eu...
Estas amarras vivem em mim como reis,
governam a minha mente e controlam o meu corpo,
exaltam os demónios em mim e me corroem por dentro,
tal como eu...

O mar batia revolto,
a ânsia da morte era certa, era em mim a libertação
Ergui-me bem alto,
olhei tudo pela última vez..
Tive saudades de mim e do que poderia ser..

e deixei-me cair....
Como um breve sopro que percorre sem sentido...
O mar batia revolto....tal como eu...
Enviar um comentário