sábado, 7 de fevereiro de 2009

Onde estás?

Há um tempo que me pergunto por ti..
Onde andarás? Por alguma ruela perdido?
Ou no paraíso longe de mim?
A tua indiferença é um sinal que previa e notava a sua chegada
como quem ansiosamente espera a chuva que aí vem...
A noite começa o seu ritmo, tu poderás estar na "borga"
mas eu estou aqui...
Podes estar a dormir, mas eu estou aqui...
Podes já nem te lembrar de mim.. mas eu lembro-me de ti..
É assim a vida de quem já não tem esperança...
remoe o passado, lembra as memórias e chora o presente..
Esta sou eu, pincelada de dor e angústia,
aqui neste canto ...
Há um tempo que me pergunto por ti... mas talvez fosse melhor questionar-me por mim..
Por onde ando? Já que aqui não mora mais a vida..
Para onde vou? Já que aqui perdi o norte...
Porque estou aqui? Já que aqui o espaço tornou-se pequeno para nós...
Então deixem-me ir.. deixem me sorrir novamente nem que seja num breve instante, num suspiro... o derradeiro..
Afinal o que é feito de mim?
Enviar um comentário