domingo, 25 de outubro de 2009





Por muitos caminhos que percorra, caminho sempre na tua direcção,
seja por destino ou por algo místico,
por onde tu estiveres é para lá que eu vou...
Deixo pegadas reluzentes sombreando o meu percurso,
perdem -se na imensidão de um deserto.
Areia fina que roça a pele quente,
quente de desejo, quente de dor.
Espera por mim meu amor,
deixa-me alcançar-te,
Pois mais triste que seja este caminho,
terei a recompensa de te alcançar algum dia...
Enviar um comentário