domingo, 14 de junho de 2009

Hoje pensei, mais uma vez em ti, lembrei-me de um episódio nosso, quando ainda namoriscava-mos sem saber no que tudo isto ia dar.
lembrei -me depois dos teus lábios, a forma como nos beijávamos, o teu cheiro, a tua cama, a forma como a tua mão contornava o meu corpo e senti -o a chamar por ti...

Quero tanto por -te numa gaveta e fechar-te a sete chaves, nem te queria como uma lembrança uma vez que me fizeste sentir a mais insignificantes das mulheres...

Uma contradição de sentimentos me abalam pois se por um lado estou grata pelo que me deste por outro lado quero te devolver tudo pois frisaste bem que fui um erro para ti e que de mim não querias mais nada.

Depois deste tempo consigo ver as coisas com mais clareza e quanto mais penso mais vejo o amor, como algo que vive das compatibilidades ou da cedência de uma das partes...

Agora continuo aqui, os dias passam e as tua palavras amargas ainda ficam latentes no meu ser como que marcadas a ferro no meu pequeno e confuso coração.
Mas tudo passará, já diz a música e tu também irás passar...

Pode demorar mas irás passar...

Irás passar...
Enviar um comentário