terça-feira, 21 de julho de 2009

Ma petit cour.


A vibração do telemóvel sinalizava a tua presença,
o coração rompeu o peito com força na ânsia de ler as tuas palavras..
eu e ele juntos bebíamos cada palavra tudo numa golfada de ar sem percebermos o que líamos só com a vontade de chegar ao fim e saber o que ainda sentias..
As palavras eram vagas, dúbias e ele soube disso.
Notei que ficou apreensivo, com medo, começou a sofrer..
Pobre coração, não te livras das palavras sem sentido, nem de afirmações enganosas.
Fechei o telemóvel, hoje não é o nosso dia coração,
Podes chorar, eu não conto a ninguém.
Amanhã voltarémos a abrir o telemóvel, ler outras palavras de outras pessoas e tudo parecerá normal... parecerá...
De facto, hoje não é mesmo o nosso dia coração...



Imagem retirada de: http://memoriasdodelirio.blogspot.com/2007/10/decorao.html
Enviar um comentário